O Ponto (G)ramátical.

domingo, 28 de setembro de 2008


O prazer não estava no autor e sim nas palavras. Claro que não era em qualquer palavra, tinha que ter extensão, elas tinham que se atracar com a língua como um beijo francês, como a um amante latino de muito jeito e pouco caráter, podia ter qualquer significado, porém tinham que desembocar todas no prazer.

Começou com tenra idade, lá pelos 14 anos quando um professor, muito erudito, citava trechos de obras grandiosas, tão grandiosas que lhe alcançaram a vulva. Dostoievsk, Bukowski, Kafka, e muitos outros a comeram, com a força pungente dos velhos sábios.
Não tinha mais volta, sonhava com elas: sobrepujante, soberba, perplexa, incomensurável, nexo, sofreguidão, uma a uma lhe atingiam aos tímpanos em sincronia com a mão que lhe atingia as pernas.
Sexo era secundário.

Houve aquele cara. Tipo bonito, boa altura, músculos bem desenhados, bom papo e agora ali no quarto dela se preparava para o banquete principal enquanto degustava sua língua, mas ela parou:

- Espere, leia isso pra mim enquanto eu arranco minhas roupas – disse isso com fogo nos olhos.
Esticando as mãos para o pequeno caderno que ela lhe entregava e sem entender nada, abriu e viu que continham palavras uma abaixo da outra, muitas.
-Ande, por favor!
Então assim o fez!
-Transcendência.
-Sim! Continue.
-Extravagante, libidinoso, altruísta...
-Sim! Sim! Quero mais – suas mãos agora se perdiam nas profundezas de si.
-Ver-ver-borr-borragico.
-O que está fazendo? Seja direto, seja, seja verborrágico.
-Home-home-ométrico, póstu-mo, e-xarrrr-ce...
-Exacerbado! É exacerbado! Por favor, não pare estou quase ...
-Sinestésico, orno-orno-ono..
-Haaaa! – a frustração era quase palpável-Para, acabou, perdi o clima!
-O que aconteceu?- havia frustração ali também.
-Acontece que você é um ignorante, não precisa de uma mulher, precisa de um professor! Sai daqui!
-Sua maluca!

E se foi, como muito outros se foram, falho onde muitos outros falharam, que lhes adiantava a beleza do corpo se não possuíam a destreza da língua.
Sim, sexo era secundário, no escuro daquela noite tateou o dicionário e sorriu.

--------------------------------------------------------------------------------------------
Esse texto eu dedico a HeneyBee do GI.

29 comentários:

Sαм; disse...

hahaha, essa é boa. Sexo intelectual.
E olha que eu não duvido que existam loucos para isso.

Beijos

Aragn Maluco disse...

ótimo, genial! Adorei o blog, eu escrevo contos e história também!

Você sabe muito bem escolher as palavras, parabéns!

Tyler Bazz disse...

Se ela lhes desse a oportunidade de usar a língua mais... ahn... diretamente..........

carla m. disse...

Marcinho,
já usei a expressão "tal texto me levou ao orgasmo", mas juro que nunca tinha imaginado assim...

mas entendo, o prazer tem caminhos inusitados.

beijocas!

kilder disse...

cara...muito engraçado o texto!!! ri bastante...otima semana!

gilgomex disse...

Passando para informar o novo endereço da coluna:

http://gilgomex.wordpress.com

Leonardo disse...

Muito bom o blog!
Vc escreve mt bem...

Abraços!

HoneyBee disse...

Testarei a técnica quando tiver oportunidade. rs

Adorei o texto, moço! Obrigada!!!

E realmente detesto homem que ainda não foi apresentado ao dicionário! E em TODA situação é preciso escolher bem as palavras!

Diógenis disse...

Sexo intelectual é foda mesmo ein !
asuhauhsuhasuhahusas
xD

Se tiver oportunidade eu boto em pratica
:X

auhsuhasuhhushuas

www.fator-d.blospot.com
passa lá

HoneyBee disse...

Quase comprei uma camiseta do boca juniors! Mas ponderei que talvez isso me levasse ao apedrejamento e linchamento em praça pública. Desisti.

gilgomex disse...

putz...
fazer uma mulher gozar só com palavras bonitas???
modéstia à parte... eu ía ser O COMEDOR!!!!!!
pena q a vida não é fácil assim.

cara, tem selo para vc lá na Coluna...

Marcio Sarge disse...

Gil é pena mesmo se bem que agente não ia conseguir comer nenhuma modelo internacional, não nos entenderiam mesmo. rs

30 e poucos anos. disse...

òtima narrativa ...

Anne O. disse...

Olá,

nossa adorei o texto, muito sedutor..

Eu particularmente adoro essa verborragia refinada, acho-a totalmente atraente(poderia dizer que por vezes é até excitante).

Nossa, adoro ler o velho safado Bukowski, bom demais seu humor sarcástico e peculiar.

Bjos

(eu e minhas mutações né, a cada hora uma foto nova e até nome novo, mas aqui no mundo blogueiro resolvi colocar apenas uma parte do meu nome, coisas de mulher, vai saber....rsrs)

*.*Allegr!a*.* disse...

Ora Ora, quem me chega com novidades na ponta da língua?
Aquele que audáz, nem em rima fica atrás.
Dominante do significante, dominados pelos significados.
Teus signos tocam canção, trovador!
Embalam minhas Pa╚avras, e por isso não deves ter ciúme...
A Língua é o que nos iguala, o ritmo da trova é que nos multiplica!

Beijo querido.

Volte sempre, que eu não saio daqui!

HoneyBee disse...

Por favor, não faça. Nada pior que um homem depilado. Mantenha-se satisfeito em ver a dama ao seu lado sofrer em uma cama de depilação. rs

Edu França disse...

Adorei a idéia, essa coisa de amor intelectual, embora não acredite em nada disso... amor é tão carnal, é possível iniciar um certo encanto, uma certa admiração e até uma certa paixão, mas é na carne bem amassada, nos membros bem apertado, nas bocas dormentes de beijar que o amor se dá de fato! Pelos pra mim, que sou um sertanejo se metafísica!

Marcio Sarge disse...

Isso é verdade Edu, pelo menos também acredito, mas os gostos, bem esses se multiplicam por essa vasto munndo.

carla m. disse...

Anjo meu, passa lá no Dos Crimes, tem presentinho pra ti...

beijocas

dudalak disse...

Realmente, ficar longe da net um pouco faz bem!
Adorei seu blog e seu texto também, você escreve muito bem!

beeijos
sorte e sucesso pra vc!!!

Bruno disse...

Genial!

Por outro lado, acho que "seborréia" é a palavra mais brochante da língua portuguesa.

Abraço!

Arlequim disse...

HIUAHAIUAHAIAUHAIAUHAIUH
ótimo.
Simplesmente ótimo.
Fico feliz que tenha encontrado emoção no meu texto, feliz e honrada.
Beijos, Homem das palavras dificeis..
HAUIHAIUHAAIUH

Danielle Vidal Daher disse...

Um lado de sexo verbal e outro de sexo cerebral.

Márcio Ribeiro disse...

Muito bom o teu texto! Muito embora eu acredite que amor é quimica e não somente palavras, achei muito legal.

abraço,
http://comideiaseideais.blogspot.com

Camila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arlequim disse...

Estou tentando, Amigo.
HAUIAHAIUAHAIUAHAIUH
Vamos ver até quando a solidão vai ser mais forte que eu. ;)

Stephanie disse...

hoje eu resolvi tirar o atraso blogosférico e ler as coisas que fui deixando pra trás e, nossa, esse aqui é ótimo

tem palavras, frases, trechos que dão, mesmo tesão, uma coisa, hahaha

beijos

raquel disse...

Sexo cio, pele e cheiro, é bom, até necessário. Afinal somos animais.

Mas alguns loucos acreditam piamente na máxima de que ´"inteligência é afrodisíaco".

Como desde pequena já falavam que eu devia ter algum "parafuso a mais ou a menos", faço parte dos loucos que se excitam e extasiam tanto ou mais, com a língua sendo usada para trasbordar a inteligência e derramá-la no meu rosto e no meu ser, do que com a língua, orgão simplesmente anatômico e físico... Se juntar as duas então, aí "cabô"...é possível atingir o nirvana sem esforço algum ;)

Isso tudo só para dizer que gostei da leitura; da minha, porque a do personagem...Fui prolixa ;)

E viva a língua,em todas as suas funções linguísticas e físicas.

Abs
Raquel

Ellen Regina - facetasdemim disse...

Sarge,
cheguei até seu blog por curiosidade mesmo, pq o vejo indicado por blogueiros Que considero excelentes! E agora pude constatar o porquê!!! Pq vc é ótimo, faz jus a todas indicações que recebe!

A-D-O-R-E-I! E acho que vc traduziu hilariamente os 'orgasmos' verbais da GI, hauahauahauaahau.
Parabéns!!!!!

 
Blog do Sarge - Templates para novo blogger