Cada qual no seu papel

sexta-feira, 3 de outubro de 2008


-Sabe? Acho que nosso casamento acabou!

O homem sentado no sofá que até então mantinhas os olhos presos a tv, resolveu se mexer.

-Espera um pouco, deixa eu tirar do futebol porque porque parece que vai começar um drama dos bons.
O porta-retrato ela tinha nas mãos se desprendeu como por vontade própria, o barulho o assustou:

"Essa merda toda está nos matando- começou, voz firme- cansei de me derramar em poses e de me fazer de boa dama. Eu não sou dama.
Cansei de ser confundida com um mausoléu de luxo e aceitar com sorriso de porcelana suas flores comemorativas, de ser boa mãe e dona de casa.
Como uma boneca, me travesti das melhores roupas que sou gosto concebia. Seu gosto maldito!
Nunca me reconheci em nenhum dos espelhos que quebrei e que me custaram dias de terapia, se lembra?
Cansei de fingir estar ofendida com os olhares famintos de seus amigos canastrões, e de conter minhas mãos que, donas de si, procuravam meu sexo, seu grande filho da puta.
Ha! Me desculpe... mas me cansei disso também, de lavar a minha boca nas águas sagradas da sua vergonha e aparência e pedir desculpa a cada palavreado feio.
Cansei dos seus presentes caros carentes de carinho, cheios de luxo cheirando a lixo. Você poderia me dizer que sempre tive tudo que uma mulher sempre sonhou, mas no fundo eu nunca fui uma mulher.
Não me olhe assim! Não se faça de ofendido! Nunca mesmo me tratou com uma mulher quer se sentir, suas poses... eu queria força, eu queria selvageria, me vestir como uma puta e ter seus dedos presos ao meu braço me censurando, sua voz firme me dizendo, "tire isso".
Eu nunca sangrei em seus braços, a não ser nos meus sonhos, que preferia ser com tantos outros.
Acabou! Frouxo!

Entre estarrecido e confuso, ele lentamente larga o controle que vai fazer companhia ao porta retrato, se aproxima da mulher que se mantém firme ainda que uma lágrima insistisse em descer de seu olho esquerdo e esboça algo pra falar, desiste, ao invés levanta sua mão e lhe acerta em cheio o rosto, lhe agarra o braço e a leva pro quarto.

Pela primeira vez em tempos de casada ela se sentiu mulher.

-------------------------------------------------------------------------------------

Para Carla M meus agradecimentos pelo carinho e palavras e presentes, saiba que é recíproco.

Beijos

27 comentários:

Antonoly disse...

IH rapaz, discussão de
casal é dose para leão,
sei porque já passei por isso.
Valeu!

www.planetaonline.wordpress.com

valacomum disse...

Esse texto é seu? Gostei bastante, tem uma forte influência de Nelson Rodrigues. Eu também escrevo sobre casais, mas com humor. Gostei do seu blog, parabéns!

Arlequim disse...

Uau.
Bom demais esse texto.
Adorei.

chatinhadivertida disse...

Como já disseram aí, isso é um texto rogriguiano... vai entender a psiquê humana! Eu por exemplo, sou chata e divertida!! hehehe Passa lá e fale mal: http://chatinhadivertida.blogspot.com/

Confissoes de uma Adolescente ;D disse...

mulher é assim né rapaz?
faz doce faz doce quando na verdade quando quer é salgado mermo

Thaynah disse...

Excelente texto.
Muito bem escrito e fundamentado.
No melhor estilo "Nelson".

Adoro!

Beijo.

blog disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
blog disse...

Triste, amargo.
Mas tem estilo, apesar de a fala feminina ser artificialmente charmosa. As aliterações caíram bem.
Não é "(...) que SEU gosto concebia"?

Valeu.

Arcano 13 disse...

cada um com suas prioridades...
estranho...
pior q acontece

ae... abçs
flws

HoneyBee disse...

Me lembrei que Nelson Rodrigues uma vez foi ao programa da Hebe e disse que todas as mulheres gostam de apanhar. A Hebe, aturdida, respondeu: "Todas!?". Nelson completou: "Apenas as neuróticas não gostam".

Foi como o seu post, mais politicamente incorreto, impossível.

Abraço!

Marcio Sarge disse...

Blog, muito obrigado pela análise.

Anne O. disse...

É isso ai, e mais uma vez você acerta, algumas vezes temos que dar uma sacudida em alguém para ver se acorda né. Infelizmente existem pessoas assim, sempre precisando umas porradas para dar valor ao que têm e não percebe.. Adoro seus textos.

E adoro seus comentários no meu blog, me faz lembrar o por quê de postar alguns poemas tão pessoais. Uma palavra ou um elogio sempre faz bem...rsrs

Obrigadoooo..

bjs

gilgomex disse...

esse texto soou machista...
mas...
conheço umas 16 ou 17 mulheres que se encaixam muito (muito) nesse perfil.
tipo uma ex minha...
mas eu preferi terminar mesmo...
heuheuheuheuee

se fosse pra bater, teria casado com um homem (bem fraquinho).

Luciano Freitas disse...

Opa. Primeiramente, obrigado pela visita ao "Muitos em Um". Gostei do seu conto, viu!? Escrever sobre atitudes femininas é sempre muito bom..rs

gilgomex disse...

li lá...
é tipo o blogblogs???
q tb me confunde muito...

carla m. disse...

Marcinho, como sempre me lisonja. Não só pelo agradecimento que colocou, mas pelo texto delicioso que o precede.

Diferente do óbvio que seria ver o casamento ir ao fim, quando os rancores são atirados à mesa, tu fez movimento no que era inação... delícia!

beijocas!!

Danilo disse...

É, elas gostam de apanhar!

Márcio Ribeiro disse...

Muito bom! Adorei, ela queria isso né, então segura as pancadas agora!rsrs

abraço,
http://comideiaseideais.blogspot.com

18 disse...

Depois, ela que não vá reclamar com as amigas que apanhou xD

Bruno disse...

O pior, Sarge, o pior é que eu já tive de engolir algo parecido. Mas foi bom pra aprender.

Abraço

Anne O. disse...

Ei, psiuuu, é você mesmo...

têm selinho pra vc no meu blog viu...

é passar e pegar...

bjos

Nina Ferreira disse...

Meu querido e talentoso Sarge.
Antes de tudo, quero me desculpar. Por ter me distraido, e não ter vindo tanto quanto deveria, ver suas letras tão bem organizadas, em uns (sempre) textos cheios de vida. Dos quais é possível sentir cheiro e sabor.
Mais, que isso. Não sei se eu vou me perdoar. Por ter me abstraído desse aprendizado que é te ler.
Você arrasou. Como arrasa sempre.
Esse foi um dos melhores textos seus que eu já li. (E você sabe que não há demogagogia alguma em minhas palavras.)

Um abraço apertado e cheiroso,

Nina.

HNunes disse...

Hum...Gostei da dinâmica do texto mas senti necessidade de me ver situada no espaço da cena para me sentir dentro dela.
Sim gostei. É de voltar
L.

Stephanie disse...

Marcio,

há tempos eu não passo por aqui, mas hoje a surpresa foi grata. Nossa, fui corendo pelas linhas e abrindo um sorriso.

um amigo meu (um dos homens mais lícudos que já conheci), me disse uma vez que um dos grandes problemas entre homens e mulheres é um nunca saber o que outro espera dele

aí o sujeito tenta dar a mulher segurança, estabilidade, uma vida respeitável (??) e se sente castrado num jogo de regras e aparências, sem imaginar que ela também se sente prisioneira dessas normas - no fim, tudo o que os dois precisavam era gostar dos defeitos um do outro.

gostei do texto!
beijo

HoneyBee disse...

Sarge, certamente meu pequeno conto não é tão bom quanto aquele que você escreveu pra mim, mas você também me inspirou a escrevê-lo. Um abraço!

Se chama "A Guerra dos Clichês. Antes, Durante e Depois do Sexo".

Danilo Cruz disse...

Pior que mulher é assim mesmo xD

Gostei muito do texto.

Tâmara disse...

Acho que no fundo de BELA mulher mora uma linda FERA. E é preciso alimentar a alma da bela e os instintos da fera...

Belo Texto!

Abraços!

 
Blog do Sarge - Templates para novo blogger